Português English
Contato

Institucional | Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em Computação (PPGC) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) iniciou suas atividades há 40 anos, em 1973. É um programa em Computação consolidado com atuação abrangente em quase todas as subáreas da Computação. O PPGC conta com cerca de 50 professores.

Avaliado com conceito 7 pela CAPES (em uma escala de 1 a 7), o PPGC possui a melhor avaliação da região Sul e está entre os melhores programas de pós-graduação em Computação do país.

O Programa oferece formação em Computação nos seguintes níveis: 1) Mestrado em Ciência da Computação, existente desde 1973, e 2) Doutorado em Ciência da Computação, existente desde 1989. Ambos objetivam a formação de pesquisadores, docentes e profissionais altamente qualificados para desenvolver atividades em diversas empresas, particularmente de alta tecnologia.

Pelo histórico de seus egressos, o PPGC forma pesquisadores capacitados para atuação em empresas de alta tecnologia no Brasil e no exterior, assim como docentes, com atuação em Universidades de todo o país e do exterior. Por exemplo, o polo de Informática, Telecomunicações e Eletrônica da Região Sul do Brasil nasceu indiscutivelmente a partir do PPGC/UFRGS. Várias indústrias líderes desses setores foram criadas por pesquisadores, alunos, ex-alunos, professores e ex-professores do Programa, incluindo Altus, Digitel, Parks e Terra (criada a partir da Nutec Informática), entre inúmeras outras. O primeiro MODEM do Rio Grande do Sul, que deu origem à indústria de tecnologia do RS, foi projetado nos laboratórios do PPGC, ainda na década de 1970. A EDISA, posteriormente incorporada pela HP do Brasil, que desempenhou papel histórico na consolidação da indústria nacional de informática, foi criada e consolidada por recursos humanos oriundos do PPGC nas décadas de 1970 e 1980.

Recentemente, diversas empresas transnacionais estabeleceram centros de pesquisa no Estado, tais como HP, SAP, Dell, Microsoft, Terra e outras com as quais o Programa tem cooperação ativa e forma pessoal qualificado que é por elas absorvido. Muitas novas empresas como Datacom, Elo e Trevisan possuem projetos de pesquisa ativos com o PPGC, mostrando que a relação histórica do PPGC com o setor produtivo mantém-se e tem sido ampliada.

O PPGC também teve participação decisiva na criação da primeira incubadora dedicada à Informática do Sul do Brasil, o CEI (Centro de Empreendimentos em Informática), cuja sede é no Instituto de Informática, criou a SOFTSUL (agente SOFTEX do MCT no Rio Grande do Sul) e foi agente decisivo na criação e gestão do CEITEC (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica), centro de pesquisas em Microeletrônica, hoje empresa pública federal que contou com docentes do programa na sua direção e no seu conselho administrativo, e do Parque Tecnológico da UFRGS, cujo atual diretor é o prof. Flávio Rech Wagner, docente ativo do PPGC.

Muitos dos ex-alunos do PPGC encontram-se trabalhando em empresas globais como Microsoft, IBM, SAP, Google, NVIDIA e tantas outras, além de vários que se encontram em universidades de primeira linha em todo pais, atestando a qualidade de seus egressos. Algumas contratações recentes de egressos são: Universidade de York/UK (Leandro Indrusiak/2010), Facebook (Luiz Scheidegger/2011 e Bruno Fiss/2012), Google Zurick, Londres e Belo Horizonte (diversos, além de Miguel Feldens – Head of Sales Technology Latin America at Google), Cisco Systems/USA (Marco Cavinato/2013), AT&T Labs/USA (Carlos Scheidegger), Imagination Technologies/UK (Arnaldo Filho/2012), entre outros. Diversos egressos também são professores em diversas Universidades do Brasil tais como UFSC, UFPR, UFRJ, UFF, UFMG, entre tantas outras. Em se tratando de Instituições do Rio Grande do Sul, a maior parte do corpo docente de quase todas instituições é composta por egressos do PPGC.

Infraestrutura

O PPGC conta com toda a infraestrutura de laboratórios de ensino e pesquisa do Instituto de Informática, com aproximadamente 690 pontos de trabalho, entre microcomputadores e estações de trabalho nas mais diversas configurações.

Muitos desses laboratórios são preferenciais para projetos de pesquisa que obtiveram financiamentos específicos. Nesses, os alunos de todos os níveis – mestrado, doutorado e graduação (bolsistas de iniciação científica) – trabalham cotidianamente.

Atualmente, o Instituto conta com doze laboratórios de ensino utilizados por alunos de graduação e pós-graduação em horários específicos, sendo um deles de sistemas digitais, totalizando 510 computadores (todos equipados com sistemas operacionais Windows e Linux). Todos os laboratórios possuem projetores multimídia para uso pelo professor. Além disso, o Instituto conta com 35 salas-laboratórios de pesquisa, distribuídos entre os grupos de Microeletrônica, Processamento Paralelo e Distribuído, Redes de Computadores, Sistemas de Tempo Real, Sistemas Embarcados, Tolerância a Falhas, Robótica e Computação Gráfica, contendo equipamentos específicos e adaptados às suas necessidades. Uma equipe técnica de administração de rede dá suporte a toda essa infraestrutura.

Além dos laboratórios de pesquisa, Instituto de Informática conta com os seguintes espaços para aulas, reuniões, apresentações, defesas e palestras:
– 6 auditórios equipados com projetor multimídia e microcomputador;
– 11 salas de aula equipadas com projetor multimídia e microcomputador.
– 2 salas devidamente equipadas para videoconferências.

Todas as dependências do Instituto de Informática, no qual funciona o PPGC, estão cobertas por acesso à Internet através de rede sem fio, e todos os ambientes de laboratórios, salas de aula, salas de estudos e reuniões possuem ambiente climatizado. Todos os alunos de doutorado e de mestrado em dedicação exclusiva possuem espaço próprio para trabalho.