Saúde

Redes colaborativas em Saúde – http://saude.rnp.br

A RNP estimula o sistema nacional de ensino, pesquisa e inovação para além da conectividade e serviços avançados, promovendo a criação, operação e manutenção de Redes Colaborativas de Ensino e Pesquisa, em especial para a comunidade de saúde, e estruturando a criação de unidades nas instituições participantes, estimulando a criação de Grupos de Interesse Especial e definindo um processo de governança da Rede.

Rute – http://rute.rnp.br

Vinculada ao Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes do Ministério da Saúde, a Rede Universitária de Telemedicina (Rute), coordenada pela RNP, provê a infraestrutura de serviços de comunicação, assim como parte dos equipamentos de informática e comunicação para os grupos de pesquisa, promovendo integração, conectividade e disseminando atividades de P&D das instituições participantes. A utilização de serviços avançados de rede promove o surgimento de novas aplicações e ferramentas que exploram mecanismos inovadores na educação em saúde, na colaboração a distância para assistência e pesquisa. São, atualmente, 133 unidades de telemedicina e telessaúde da Rute em plena operação, localizadas em todos os 27 estados do Brasil; e, em 2017, são mais de 50 SIGs, em várias especialidades e subespecialidades da saúde, com 582 sessões anuais (139 webconferências e 443 videoconferências), gravadas e disponibilizadas no portal. Isso representa uma média diária de duas a três sessões científicas com a participação de cerca de 300 instituições, inclusive da América Latina. Em 2017, foram 2724 participantes distintos registrados no sistema de presença, de um total de 9757 presenças registradas nas sessões colaborativas.

NutriSSAN – http://nutrissan.rnp.br

A Plataforma de Ensino, Pesquisa e Extensão em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (NutriSSAN) tem como objetivo articular pesquisadores em Rede para ações colaborativas e interdisciplinares para alcançar a soberania e segurança alimentar e nutricional (SSAN) para todos, unindo diversas instituições brasileiras e internacionais. Os princípios norteadores da NutriSSAN seguem a Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Decreto nº 7272/2010). Com o apoio da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), a plataforma tecnológica vai promover a integração entre a comunidade acadêmica, sociedade civil e os gestores na área de SSAN. A ferramenta segue o modelo operacional e de governança da Rede Universitária de Telemedicina (Rute), presente em hospitais de todo o país, utilizando os serviços de videoconferência e webconferência para troca de conhecimento, criação de Grupos de Interesse Especial (SIG), e ações entre as instituições. A plataforma é fundamental para integrar e mobilizar parceiros, estimular intercâmbio de conhecimentos, facilitar reuniões e a colaboração entre os pesquisadores, além de garantir a gestão e o monitoramento dos processos de interesse da NutriSSAN.

CPLP

Em Lisboa, março de 2016, na Reunião Técnica PECS-CPLP 2009 – 2016, foi aprovada a Estratégia de Telessaúde para os países de língua portuguesa. Em Setembro de 2017, foi realizada em Cabo Verde a I Reunião de Telemedicina e Telessaúde da CPLP, que resultou na Carta da Cidade da Praia: “A Telemedicina e a Telessaúde são reconhecidamente instrumentos eficazes e eficientes para diminuir as inequidades em saúde, facilitar o acesso e melhorar a qualidade da prestação de serviços de saúde às populações” e recomendações de implantação. Em 26 de Outubro de 2017, em Brasília, na IV Reunião dos nove Ministérios de Saúde das nações que constituem a CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (Portugal, Brasil, Moçambique, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Timor Leste, São Tomé e Príncipe) – foi assinada a Resolução sobre o estabelecimento do Grupo de Trabalho permanente da CPLP em Telemedicina e Telessaúde, que integra as atividades e os programas nacionais dos países membros.

RET-SUS

A Rede de Escolas Técnicas do Sistema Único de Saúde (RET-SUS) está consolidada como referência no país para a formação profissional de nível médio na área de saúde, sendo relevante para a contribuição do desenvolvimento de processos formativos e de qualificação dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde na perspectiva da Política de Educação Profissional e da Política Nacional de Educação Permanente. Trata-se de uma rede governamental criada no ano 2000 para fortalecer a formação e a qualificação de profissionais de nível médio que atuam na área da saúde. A RET-SUS é composta por 41 escolas técnicas, centros formadores de recursos humanos e escolas de Saúde Pública do SUS que existem em todas as regiões do país. A RNP inicia em 2018 sua participação no modelo de governança da Rede Colaborativa das ETSUS, integrado às atividades da Rute, NutriSSAN e CPLP.

Grupos de Interesse Especial – SIGs

As Redes Colaborativas de Ensino e Pesquisa estimulam a integração e a colaboração entre profissionais e pesquisadores de saúde por meio de Grupos de Interesse Especial (do inglês Special Interest Groups – SIGs). Os SIGs promovem sessões, por videoconferência ou webconferência, para debates, discussões de caso, aulas, pesquisas e avaliações à distância, em várias áreas, especialidades e subespecialidades da saúde, para diversos profissionais, em diversos níveis de formação profissional.

Qualquer instituição da área da saúde pode solicitar participação nos SIGs, com seus próprios recursos. A participação dependerá da capacidade técnica e aprovação da coordenação do SIG.

Para aderir à Comunidade de Saúde apoiada pela RNP (http://saude.rnp.br), entre em contato pelo e-mail: coord@saude.rnp.br